29 janeiro 2007

Leis estúpidas dos EUA

Recebi por e-mail esta relação de leis ridículas existentes nos Estados Unidos, feita por um desembargador do Tribunal de Justiça de algum estado do Nordeste brasileiro.
Muito bom!


Na Califórnia, no município de Chico, para combater o terrorismo, foi promulgada lei que fixa multa de 500 dólares para quem explodir bomba nuclear nos limites do território municipal (hum, era bem lá que eu ia explodir a minha nuclear caseira); na mesma Califórnia, na cidade Pacif Grove, outra lei fixa multa em até 500 dólares àquele que molestar ou ameaçar as borboletas (o estado vai enriquecer com uma multa dessa).
Em Washington, capital do País, há uma lei que obriga o motorista, que alimenta alguma intenção criminosa, a parar, na entrada da cidade, para comunicar ao chefe de polícia que está chegando com seus instintos hostis (mas como eles são mal educados, entram sem avisar).
No Texas, o deputado Jim Kaster é autor de uma lei que obriga os bandidos a avisarem às suas futuras vítimas, com antecedência de 24 horas, sobre o crime que irão cometer (e a gente critica os nossos deputados!); ainda no Texas, na cidade de Kingsville, há lei que proíbe os porcos fazerem sexo dentro do aeroporto da cidade (justo no local preferido deles!). Em San Antonio, lei proíbe que macacos andem de ônibus (o que é isso! Abaixo o preconceito!).
Para considerar o homossexualismo ilegal, o Estado da Virgínia editou lei proibindo o sexo anal, oral e a relação sexual com posição diversa da de "papai-e-mamãe" (quem será que fiscaliza?). Também não se pode fazer cócegas nas mulheres (senão elas violam a lei anterior). Outra lei obriga os moradores a instalar banheiras na parte exterior de suas residências (tomar banho no meio da rua pode?).
Na Pensilvânia, existe uma lei que proíbe as pessoas cantarem enquanto tomam banho (acaba com a diversão das pessoas...). Outra lei, em Pittsburgh, considera ilegal uma pessoa dormir dentro de uma geladeira (ainda bem que eu não moro lá).
No Estado de Wyoming, lei de 1980, proíbe tirar fotos de coelhos, entre os meses de janeiro a abril, sem licença oficial. O legislador explica que a intenção é proteger a privacidade desses animais durante a fase de acasalamento (tá certo, ninguém gostaria de ser fotografado acasalando).
Em Connecticut, o ciclista não pode ultrapassar a velocidade de 100 km/h sob pena de ser parado e multado pela polícia (também tá certo, essas ciclistas são muito apressadinhos).
Na cidade de Helena, Montana, uma proíbe mulheres casadas e solteiras pescar desacompanhadas, aos domingos (de segunda a sábado pode).
No Estado do Arizona, é proibido jumentos dormir em banheiras (que sacanagem); considera-se ilegal o fato de um cidadão recusar a dar um copo de água a um desconhecido (é um estímulo à solidariedade); ainda no mesmo Estado, caçar camelos e jogar cartas nas ruas com indígena americano é ilegal (eu disse que eles acabam com a diversão das pessoas); e mais, o cidadão maior de 18 anos não pode deixar faltar mais de um dente, quando sorri (será que eles pagam a prótese?).
No Estado de Massachusetts é proibido roncar, exceto quando todas as janelas do quarto estão fechadas. É ilegal dormir sem tomar banho (higiene acima de tudo!).
O Estado do Tennessee não é banhado pelo mar, mas há uma lei que proíbe a caça esportiva sobre veículo em movimento, excetuando as baleias que, diga-se de passagem, não vivem fora d'água (são visionários: por enquanto não existe mar, mas com as recentes mudanças climáticas...).
No Estado de Illinois, tem uma lei que diz: "não se deve mijar na boca do seu vizinho".
No Colorado, "é ilegal lançar mísseis contra carros".
Os habitantes de Alabama não podem usar bigode falso que provoque risos na igreja.
No Estado de Oklahoma, é proibido uma pessoa morder o pedaço de hamburger da outra.
No Alaska, é legal atirar em ursos, mas não se pode acordá-los para tirar fotografias.
Em New Jersey, não se pode usar colete à prova de bala, enquanto se comete um assassinato.
Em Nova York, fixou-se a pena de morte para quem pular de um edifício.

Que gente doida!

28 janeiro 2007

Sobre o leite derramado

A crise aérea brasileira já existia, no entanto, foi preciso que um Boeing caísse, matando 154 pessoas, para que o governo federal admitisse os problemas e fizesse algo para saná-la (estamos esperando a solução ainda). Na esfera estadual, o mesmo aconteceu com as obras no metrô da Lina 4, em São Paulo. O Jornal da Band mostrou outra estação da mesma linha, onde as obras estão paralisadas há três meses. Por quê? Porque as casas e escritórios ao redor estão com rachaduras. Ou seja, o problema também já existia, era conhecido, mas foi preciso um desabamento que deixou sete vítimas para que viesse a público.
Em Apucarana, fato ocorrido na última semana se encaixa nesta lógica de "tapar o sol com a peneira", comum aos governos brasileiros. Um jovem cinegrafista foi morto no aeroporto da cidade, após ser atingido pelo trem de pouso de um jato particular. O rapaz filmava a decolagem do avião a pedido de um grupo de empresários. Isso mostra o que a gente já sabia, mas nada fez para mudar: o aeroporto de Apucarana não tem estrutura para funcionar. Se tivesse, um responsável pela fiscalização da área teria informado ao cinegrafista que era proibido fazer a filmagem daquele local. A Prefeitura deve responder pelo incidente, bem como o grupo que fretou o jato.
O próprio assessor de imprensa da prefeitura confidenciou a nós, jornalistas, que a responsabilidade vai recair sobre a prefeitura, já que "se um traficante quiser descer de avião no aeroporto, transportando droga, ele desce. O vigia não vai barrar uma pessoa que estiver de terno e gravata e botar panca de empresário", afirmou. Tragédias que poderiam ser evitadas se o poder público assumisse suas incapacidades e não tentasse tocar projetos inviáveis. Isso fica bem pior para a opinião pública.

22 janeiro 2007

PAC

Acelerar, não como diz naquela música da Jovem Guarda 'entrar da Rua Augusta a 120 por hora', mas acelerar na medida e na estrada certa"
Lula, presidente do Brasil

O presidente Lula anunciou hoje o Programa de Aceleração do Crescimento, ou PAC. O programa prevê investimentos em energia elétrica, ferrovias, hidrovias, portos, aeroportos... etc. Serão 503,9 bilhões nos quatro anos de mandato; no entanto, 67,8 serão da União e 436,1 de empresas estatais e privadas. Além disso, o governo federal conta com 8 bilhões dos estados; fato que já levou alguns governadores a manifestarem preocupação.
O PAC prevê uma renúncia de receita de 6,6 bilhões só em 2007. Mas não cita a redução dos gastos públicos que, segundo economistas, é o que emperra a economia brasileira. Dessa forma, a preocupação dos estados seria lógica, já que a parcela da arrecadação de impostos repassada a eles não vai aumentar.
Um setor que se sentiu desprivilegiado foi a agricultura, mais uma vez negligenciada nos planos do governo federal. O setor que impulsiona o crescimento do país, que torna necessário o investimento em outras áreas, como infra-estrutura, emprego e transporte, foi deixado de lado nos próximos quatro anos. Será esse o significado da ausência da agricultura no PAC? Se for, mais um ponto negativo para o presidente, que pretende começar o novo mandato com um programa de aceleração que esquece o principal motor do país.

19 janeiro 2007

CELESTIAIS

Tive três anjos na minha vida. Três pessoas que ajudaram a formar minha personalidade e superar meus medos; a crescer com responsabilidade e dignidade; a não fraquejar. Embora distantes, não posso dizer que meus anjos não estão mais ao meu lado; são raros os dias em que não me lembro deles, e agradeço. O primeiro apareceu quando eu era bem pequena, acompanhou todas as minhas paqueras infantis, me aconselhou, e me delatou diversas vezes à minha mãe. Ficava com raiva quando isso acontecia, mas hoje entendo que ele queria o meu bem.
O segundo veio um pouco mais tarde, simultaneamente com o terceiro. Ele me ensinou a superar limites, a não sentir medo de tentar, e errar. Demonstrava todo o seu carinho por mim e ainda hoje vive na minha memória. Não sei de seu paradeiro hoje, mas gostaria de encontrá-lo para dizer o quão importante foi em minha vida. Ainda carrego na carteira um verso de incentivo escrito por ele.
Ao mesmo tempo em que ele me ensinava a superar desafios, meu terceiro anjo me fazia praticar a teoria da solidariedade. Era religioso, porém sem ser ‘quadrado’. Via em mim uma pessoa que não sei se fui, ou sou. Alguém desprendido das coisas materiais, que sabia alegrar os outros e passar energia positiva. O via todos os dias e ainda o chateava com desabafos sentimentais. De repente fui obrigada a abandonar essa convivência. Mas todas as vezes em que nos falamos, é como se um bálsamo pousasse em meu coração e abrandasse as dores inúteis.
Esses três anjos têm nome, família, profissão, mas não poupam esforços para compartilhar ensinamentos com mortais como eu. Agradeço sempre pela passagem dessas três pessoas em minha vida e espero reencontrá-las um dia; se elas ainda não tiverem ruflado suas asas.

18 janeiro 2007

Que verso perfeito!

Das lembranças que eu trago na vida,
você é a saudade que eu gosto de ter

17 janeiro 2007

Fruet, a terceira opção

Terceira e melhor. O deputado federal paranaense, Gustavo Fruet (PSDB) lançou-se candidato pela chamada "terceira via" à presidência da Câmara dos Deputados. Vai disputar com Aldo Rebelo (PC do B), candidato à reeleição, e Arlindo Chinaglia (PT). Fruet não recebeu o apoio total dos dissidentes, o Psol, por exemplo, descartou apoio ao tucano; por isso, a candidatura já começa enfraquecida.
Hoje, ele declarou ser contra a concessão de anistia política a deputados cassados, como José Dirceu (PT) e Roberto Jefferson (PTB). Fruet afirmou que o perdão a parlamentares que perderam os direitos políticos desqualifica o trabalho das CPIs, que investigam supostos atos de corrupção cometidos pelos mesmos. O candidato participou do Conselho de Ética que julgou Dirceu e Jefferson e disse ter manifestado publicamente sua posição contrária à anistia para ambos.
O deputado também alegou ser contra o aumento de cerca de 90% nos salários dos deputados federais e sugere que o acréscimo seja de 14%. É óbvio que essas promessas podem virar pó após uma improvável eleição, mas Fruet tem um histórico bastante respeitável. Durante seu trabalho na CPI e mesmo durante a campanha eleitoral, nada que sujasse seu nome apareceu. Já Chinaglia, declarou abertamente ser favorável à equiparação do piso dos parlamentares ao do STF (Supremo Tribunal Federal) (aliás, é só para a cara dele e perceber a malandragem) e é bem provável que vença o páreo por isso, como aconteceu com o desastroso Severino Cavalcanti. Rebelo deve ser o mais irritado com toda essa história. Assumiu a presidência da Casa com apoio do PT e agora o partido do governo lança candidato próprio, que sacanagem!
Os absurdos na campanha para a Câmara não param por aí, o que parecia impossível na política brasileira aconteceu: tucano apoiando petista. Era o que faltava! Os caciques do PSDB manifestaram insatisfação com o apoio a Chinaglia, mas ainda não se manifestaram em relação a Fruet. Apenas uma coisa é quase certa: a nova candidatura deve levar o processo para o segundo turno.

MUTAÇÃO

Sabe que eu queria ficar aqui pra sempre, abraçadinho com você?
Sério? Eu acho tão chato essa história de viver no campo, em microcidades... credo! Gosto da balada.
Mas aposto que você gostaria de acordar com o canto de um pássaro na sua janela, que ficou aberta a noite toda, soprando a suave brisa noturna.
Pára, a hora que o pássaro canta eu to indo dormir, nem vejo. E foi-se o tempo, querido, em que acordar com um galo cantando era romântico!
Ah... mas você gostaria de poder ficar na varanda de casa, no final da tarde, observando o movimento da rua, não gostaria?
Rarara... que movimento? Aqui nessa cidade só passa carroça, se liga!
Ah, aqui também tem vários lugares para se divertir: o Bar, a churrascaria, a pizzaria... Já sei, hoje a gente podia ir comer rodízio, o que você acha?
Ãh? O máximo da animação que você consegue imaginar é um rodízio de pizza??? Ai, que gente limitada.
Tudo bem que você não goste, mas há de concordar que é um bom lugar para criar os filhos.
Que filhos? Se acontecer uma “cagada” dessa, eu tiro! Não vou estragar meu corpinho não, nem pense!
Nossa, não imaginei que você pensasse assim, me pareceu uma pessoa tão meiga e carinhosa no nosso primeiro encontro...
Pois é, querido, as pessoas mudam. Na primeira vez que te vi, há três horas, pensei que conseguiria passar a noite toda com você e ganhar o bastante para a passagem de volta, mas me enganei. To caindo fora.
Ué, você me disse que morava aqui...
Era mentira meooo, se liga.
Se você odeia tanto assim a cidade, eu vou com você pra onde você quiser.
Meu querido, eu vim pra cá porque me disseram que era cheio de homens “famintos” e que daria pra lucrar bem. A carinha de sonsa faz parte do personagem, entendeu? Só esqueceram de me avisar que os gulosos eram uns chatos!
Nossa, nem percebi que você era assim, parecia que estava gostando tanto...
Faz parte da fantasia também. Agora passa os trintão pra cá.
Trintão? Eu te ofereço uma vida e você pede trintão?
Você não se toca né. Eu to indo embora, chega de melação...
Você não pode ir embora assim.
Ah é, e por que não?
Porque você me deve.
Devo o quê? Tá louco?
Vintão.
O que é isso hein querido? Um roceiro como você tá querendo me enrolar é?
Faz parte do personagem. A minha noite é cinquentão.

16 janeiro 2007

PARECE O CAOS



Assistindo aos jornais desta noite cheguei à conclusão de que o Brasil passa por um momento de caos. Cratera engole pessoas em São Paulo; lama invade casas e deixa desabrigados em Minas e no Rio de Janeiro; chuvas matam mais três em SP; bandidos promovem novos ataques no Rio; turistas precisam ser escoltados pela Polícia Militar em Recife. Catástrofes naturais unem-se à negligência e à violência humana. Quando e onde vamos parar?
Há solução para tudo isso? Sim, mas elas certamente não serão encontradas em reuniões entre governadores enternados*, em salas com ar condicionado e copinho de água do lado. Além disso, enquanto a maioria dos brasileiros se preocupa, o presidente Lula tira férias e depois viaja para o Equador para a festa de posse de Rafael Correa.
Acorda presidente! Não adianta nada melhorar as relações internacionais se o país não tem condições de receber visitantes. Em breve, haverá reunião do Mercosul no Rio de Janeiro e como o governo pretende agir? Levará Hugo Chavez escoltado pela PM até o hotel do encontro?

*que vestem terno

Saindo da letargia...

É ano novo, layout novo. Mas faz tanto tempo que não posto nada no meu blog (desde 28 de dezembro) que perdi a prática. Antes, para a quase totalidade das notícias que lia, podia emitir uma opinião, escrevê-la, sem parecer incoerente. Agora leio jornais, escuto rádio e assisto televisão, mas, apesar de poder conversar sobre os temas, não consigo escrever sobre eles. Espero que seja uma letargia passageira (a iniciativa de escrever esse post já pode sinalizar uma volta por cima), senão, perderei algo que prezo muito, o senso crítico.