21 agosto 2006

** Lampejo **

Mais Cecília Meireles, hoje, dedicado ao Hugo:

Cânticos- verso IV

Adormece o teu corpo
com a música da vida.
Encanta te.
Esquece te.
Tem por volúpia a dispersão.
Não queiras ser tu.
Quere ser a alma infinita de tudo.
Troca o teu curto sonho humano
Pelo sonho imortal.
O único.
Vence a miséria de ter medo.
Troca te pelo Desconhecido.
Não vês, então, que ele é maior?
Não vês que ele não tem fim?
Não vês que ele és tu mesmo?
Tu que andas esquecido de ti?

2 comentários:

Hugo disse...

Nossa, muito obrigado pela dedicatória!
Poema mais bonito esse, muito bom o seu "lampejo", vejo todos os dias...
Beijos

Cecília França disse...

Que bom que vc gostou amor.
Mil beijos!