21 junho 2006

Sinto que sou exageradamente complacente. Em situações de injustiça, ou rigor excessivo tenho o costume de analisar todos os lados, inclusive o do agressor e compreender seus motivos. Até onde isso é uma qualidade e quando passa a ser falta de capacidade de análise da situação é meu dilema atual.
Não existe uma justiça universal, o que e justo para mim não o é para o meu chefe. Nesse caso, invariavelmente. Porém, alguns cometem injustiças e fazem sofrer gratuitamente, sem motivo real. Percebo que o amor é a variável responsável por essa maneira de agir dos poucos amados. Quem não recebe amor não sabe devolver amor. Mesmo que pessoas de bom coração insistam em ter uma relação fraterna e de cumplicidade com esses indivíduos “sem amor”, jamais terão o retorno desejado.
Apesar de parecer filosofia bíblica realmente se encaixa na realidade, como a peça que faltava no quebra-cabeça.

6 comentários:

Luana disse...

aquela história de novo?

Cecília França disse...

Rsrs, para você ver Lu! A história se repete...
Beijos!

Isa disse...

vamos pra Sampa!!!
um bjaum...
tá mais

Luana disse...

que bosta...

Anônimo disse...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»

Anônimo disse...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»