28 abril 2006

Falando em eleições 2

A campanha eleitoral deste ano vai ser de baixo nível. Devemos nos preparar! O PT está se armando contra o PSDB e prepara ataques lembrando as privatizações realizadas no governo Fernando Henrique Cardoso. Para rebater denúncias de corrupção eles vão lançar novas acusações contra o inimigo.
Hoje o PT vai aclamar Lula candidato à reeleição, o que todos já sabíamos, e vai aprovar um documento ridículo que pretende recuperar as bases ideológicas do partido. Parece impossível que o PT queira retomar o mesmo discurso usado nas eleições de 2002, mas é exatamente isso que o partido vai fazer.
O documento diz que a reeleição de Lula pretende "barrar a contra-ofensiva da direita e dos setores neoliberais”. É um discursinho manjado e que todo mundo já sabe que não dá em nada. E ainda acrescenta: “As forças neoliberais querem recuperar o controle do governo federal, retomando a repressão contra os movimentos sociais, a submissão aos interesses norte-americanos, a ideologia e a prática do Estado mínimo e das privatizações".
Até onde eu saiba, o governo Lula também repreendeu os movimentos sociais (que por sinal ajudaram a elegê-lo) e continua submisso aos norte-americanos. Aliás, economicamente não houve mudança significativa.

27 abril 2006

Falando em eleição...

As campanhas eleitorais só podem começar, oficialmente, depois das Convenções dos partidos políticos, no meio do ano. Mas, na prática, já começaram há algum tempo. Nem vou citar o presidente Lula, que parece nunca ter saído da disputa eleitoral, mas sim Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB. Ele vai visitar todos os estados do Nordeste durante o mês que vem. Bom, até onde eu saiba, ele ainda é pré-candidato e isso caracteriza campanha, descarada...
Quando ainda estava governando o estado de São Paulo, Alckmin não visitou o Nordeste, o que é perfeitamente compreensível. Mas agora ele vai. Por quê? Porque está tentando ganhar representação nesses estados. E isso não é campanha?!?
O partido do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não tem representação no Nordeste, o maior reduto político do presidente Lula. Li em um site esses dias, não me lembro qual, que esse foi o maior motivo da derrota do candidato tucano em 2002. José Serra não conseguiu, ou não aceitou, apoio de lideranças regionais. Mas agora é diferente, já que Alckmin vai ter apoio de "coronéis" como Antonio Carlos Magalhães.
Resta saber se isso vai ser suficiente.

Mais vergonhas

Certas faces do mundo político brasileiro são mostradas ao público e parecem não gerar a revolta que realmente deveriam. Por exemplo: a maioria de nós ficou sabendo que a Câmara dos Deputados vai reduzir em 70% os gastos com combustíveis. Isso quer dizer que os nossos ilustres representantes vão receber R$ 4,5 mil por mês, ao invés do R$ 15 mil pagos até agora, para gastar com seus belos carros.
É lógico que o motivo da redução é a fraude. E também o ano eleitoral, quando tudo parece ser consertado. Impressiona o gasto do governo em ano de eleição. Só nos três primeiros meses deste ano, o aumento foi de 14%. E ainda temos seis meses pela frente!
Mas voltando ao caso dos combustíveis. Toquei nesse assunto para dizer que enquanto os deputados ganham esse valor exorbitante, as empregadas domésticas têm que fazer panfletagem para convencer a opinião pública de que têm direito à carteira assinada.
Hoje é dia da categoria e aqui, em Apucarana, o Sindicato vai promover uma conscientização sobre a Medida Provisória 284. Através dessa medida, os patrões que registrarem os empregados domésticos podem abater o valor do INSS no Imposto de Renda. Os coitados precisam fazer panfletos para garantir isso. E ainda recebem um salário mínimo por mês!
No Brasil, existem cerca de 6,5 milhões de empregados domésticos, mas apenas 24% têm registro em carteira.

"O passado é o futuro usado"

O Renato leu essa frase do Millôr Fernandes agora há pouco. Achei interessante, mas ainda estou meditando sobre ela. Quer dizer que o passado e o futuro são iguais?
Bom, cada um tire a conclusão que desejar...

26 abril 2006

Vergonhas da nossa nação

“Outro dia um menino de 11 anos entrou numa agência de empregos; queria um trabalho para ajudar os pais. Não fosse o desemprego e os baixos salários, nenhuma criança gostaria de trocar suas brincadeiras por trabalho. Diante desta esculhambação econômica, porém, a opção reduz-se a trabalhar ou passar fome.”
Décio Melo
Outro dia entrei num supermercado; estava com pressa, queria ser atendida rapidamente. Chamei um moço de, no máximo, 17 anos, para empacotar minhas compras. Não me deu atenção. Quando me dei conta, um senhor vinha correndo (com perdão da hipérbole): pegou a sacolinha e colocou os produtos dentro. Antes disso, deu-me um sorriso, o qual retribuí surpresa. Parecia cansado, eram quase seis da tarde e ele deveria estar trabalhando desde a manhã. Devia ter seus quase 70 anos. Pensei na hora: “Não fosse a aposentadoria miserável, nenhum idoso precisaria trocar sua caminhada matinal e a conversa com os amigos na praça, por trabalho”.
Perguntou-me se estava de carro. Disse que sim, no estacionamento, um Gol prata. Colocou as sacolas dentro do carrinho, com uma agilidade invejável ao desatento adolescente que eu chamara anteriormente. Foi fabuloso vê-lo seguir rumo ao automóvel com um pé sobre a barra inferior do carrinho e outro pegando impulso no chão, como fazem as crianças atuais com seus patinetes. Senti piedade, mas, para minha surpresa e desconcerto, ele parece ter percebido meu sentimento e retribuiu-me com um sorriso, como se dissesse que era ele quem deveria sentir aquilo por mim.
Seu João Silveira Dias deve ter pensado naquele momento o quanto minha vida era corrida, o quão velha, aparentemente, eu seria na idade dele: 67 anos. E deve ter pensado em tudo o que eu não saberia quando chegasse lá. Seu João precisava do emprego no supermercado para completar a aposentadoria que conseguira depois de anos de trabalho pesado. Eu precisava dele para levar minhas sacolas. Mas, olhando para seus olhos enrugados e suados, pensei que precisava dele para muito mais do que isso.
Precisava dele para me ensinar a como levantar de manhã com um sorriso no rosto e como trabalhar assobiando o dia todo; enquanto eu levantava esbravejando, pedindo mais dez minutos de descanso. Precisava dele para me mostrar a beleza do pôr-do-sol, que ele admirava após as seis horas da tarde enquanto voltava a pé para casa, já que eu estava no meu carro sem olhar para o céu, com as janelas fechadas e o ar condicionado ligado.
Eu precisava da dignidade que aquele homem mostrava a cada vez que servia um dos clientes do supermercado. Ele nos faz sentir vergonha do país em que vivemos, por exigir que um senhor que já dedicou mais de 55 anos ao trabalho passe o fim da vida em um supermercado, ganhando um salário mínimo e um vale-transporte que não usa para poder vender e completar a renda familiar. Ele nos faz sentir vergonha de não sermos nós a carregarmos as sacolas para ele.

Crônicas...

Vasculhando alguns disquetes encontrei textos da época da faculdade que gostaria de publicar. Bom, aí vai...
**
A tão falada e contestada beleza interior é a maior verdade que conheço. Pessoas consideradas feias quando vistas isoladamente, se sobressaem por um brilho inexplicável na primeira troca de palavras. Conheço algumas pessoas assim. Conheço um homem assim.
Ele é belo como seu amigo de olhos verdes e olhar faminto jamais sonharia ser. Possui olhos negros, que transbordam carinho e solidariedade, além de ter um olhar profundo e extremamente sedutor. O som da sua voz parece feio, desagradável, quando fala com a língua ligeiramente presa. Mas o conteúdo da fala é afável. Não me refiro a palavras de amor, mas a simples conversas rotineiras.
Nada de inconveniente sai de sua boca. Além de ser engraçado e sempre pertinente. Dentre o grupo de pessoas em que o conheci ele é o mais bonito, o mais agradável. No entanto, quem o visse de repente diria que estou louca.
Beleza interior virou título de matéria de revista sobre emagrecimento e vida saudável. Foi ridicularizada em piadas. Ninguém é considerado pelos seus atributos mentais, somente físicos. Não sou hipócrita a ponto de dizer que não caio em tentação quando vejo homens indiscutivelmente belos, com corpos “apolônicos”. Mas sou pretensiosa o bastante para afirmar que valorizo mais a beleza das ações e sei enxergar pessoas realmente ‘belas’ entre um grupo de beldades.
Não exagero sobre as qualidade do homem mais belo com o qual já tive contato. Tenho certeza de que, se eu dissesse que escrevi um texto tendo ele como modelo e lhe mostrasse este rascunho, ele riria e me chamaria de exagerada. Sua modéstia jamais permitiria que concordasse com alguma palavra escrita aqui. Quer dizer, talvez com a parte do “engraçado”. A beleza da alma vem acompanhada, invariavelmente, da real modéstia.

24 abril 2006

Como nasce um político

"O filho de cinco anos de um político diz para a mãe:
- Mãe, eu não quero mais chamar Júnior!
- Que isso, filho, por quê?
- Todo mundo chama o pai de ladrão e eu não quero ter o mesmo nome que ele!
- Filho, seu pai não é ladrão, quem disse isso?
- Todos os meus colegas da escola... e a professora também...
- Imagina meu filho, eles estão mentindo! É inveja porque seu pai ganha bastante dinheiro.
- Por que ele ganha tanto dinheiro?
- Porque ele trabalha muito. Você não percebe que ele quase nunca fica em casa?
- É, eu já vi que ele chega tarde e às vezes todo suado.
- Então filho, é de tanto trabalhar...
- Pra quê trabalhar tanto?
- Ué Júnior, pra você ter os melhores tênis, estudar na melhor escola, andar no melhor carro... essas coisas necessárias à vida que a gente leva.
- Ah...
Aos 22 anos, o Júnior se candidatou a vereador. Hoje, aos 40, está na Câmara Federal ganhando mais dinheiro que seu pai. Mas é só porque ele precisa comer caviar e tomar champagne com freqüência. Questão de subsistência..."

23 abril 2006

Feminismo

Esta é a ministra Ellen Gracie (citada no posta abaixo). A foto serve apenas para ilustrar minha opinião: o dia em uma mulher assumir a presidência do Brasil a política terá mais ética e muitos problemas serão resolvidos.

22 abril 2006

Novidades na política!

A primeira mulher ministra do Supremo Tribunal Federal, Ellen Gracie, pode acumular outro pioneirismo. Gracie pode ser a primeira mulher a assumir a presidência da República do Brasil. Por apenas cinco dias, é verdade, mas o fato é histórico em um país onde mulher e política parecem não se afinar! O fato foi divulgado hoje, junto com uma pesquisa que mostra o atraso do Brasil nessa questão.
Nosso país ocupa a posição de número 107 no ranking sobre mulheres que atuam nas câmaras de deputados de 187 países. A lista foi feita pela União Inter-Parlamentar, uma organização de incentivo à cooperação entre as câmaras nacionais de mais de 140 Países. No Brasil, as mulheres representam apenas 8,6% dos parlamentares, enquanto a média é de 16%.
Nós registramos a pior média da América do Sul, ficando atrás da Argentina, Guiana, Suriname, Peru, Venezuela, Bolívia e Uruguai.

**
Ah, não expliquei porque a ministra pode ocupar o cargo. É que o presidente Lula vai viajar para a Áustria, em maio. No mesmo período, o vice José Alencar também vai estar fora, na Bolívia, se não me engano. Aldo Rebelo, presidente da Câmara, é o próximo na linha de substituição, mas vai viajar também! Como o presidente do Senado, Renan Calheiros, pode ser candidato em outubro, não pode ocupar o cargo. Daí vem o direito de Ellen Gracie, a quarta na linha de substituição.

20 abril 2006

Falando em burocracia...

Não sabia que existia um benefício chamado "Benefício de Prestação Continuada". Ele é oferecido a deficientes e idosos que não têm mais condições de trabalhar. Para conseguir receber é preciso passar pela perícia médica do INSS.
O Ministério Público do Paraná reclamou que é muito difícil conseguir a liberação. A partir disso eu me interessei e liguei para a agência do INSS de Apucarana. Apenas pela primeira exigência já concordei com o MP. Para receber o benefício de um salário mínimo mensal a família da pessoa não pode ter renda superior a 1/4 do salário mínimo! A família não pode receber mais do que R$ 87,50 por mês!
Meu Deus do céu, é preciso ser miserável...
Se for levar em conta a previsão da Fundação Getúlio Vargas, é preciso mais que isso. Para a fundação, miserável é quem recebe menos do que R$ 115 mensais. Um em cada quatro brasileiros vive nessas condições.

Mais do mesmo...

O FMI divulgou ontem que a economia do Brasil vai continuar crescendo menos que a média mundial. A projeção para 2006 é de 3,5%, contra 4,8% do resto do mundo. Bom, isso vem se repetindo há dez anos. Em uma década, o Produto Interno Bruto do país cresceu apenas 0,7%, enquanto o mundo cresceu 2,6. Quem quiser ver a tabela de crescimento acesse o site http://www.grcvisao.com.br/relatorios/PIB2005_economias_03032006.pdf.
Não entendo profundamente de economia, mas sei que o PIB do Brasil é um dos menores do mundo. Isso quer dizer que a população não acumula riquezas, reflexo da diferença de renda.

**
Outro dado que assusta é o de que o Brasil já alcançou a média da carga tributária dos países mais ricos do mundo. Nós pagamos mais impostos do que os norte-americanos, que são mais ricos. Os japoneses e australianos também pagam menos impostos do que nós.
Tudo isso seria solucionado com a distribuição mais justa de renda. E não com as esmolinhas que o governo dá, de R$ 50 ao mês. Isso sem contar a burocracia que as famílias têm que enfrentar para conseguir o Bolsa Família!

Sem Maldade...

Desculpem, mas vou tratar de um assunto agora do qual não tenho muito conhecimento: Fórmula 1. É apenas um comentário. Acabei de ler uma declaração do ex-campeão de todas as provas, o alemão Michael Schumacher. Ele disse que gostaria de não depender de um carro para correr. Sem maldade, mas ele podia sair correndo com as próprias pernas pela pista, rsrs... já que não quer depender da máquina! Quem sabe ele voltaria a chegar em primeiro!

Isso aqui ô ô, é um pouquinho de Brasil, ia ia...

Diplomas da Universidade Estadual de Maringá estão sendo vendidos pela Internet. A que ponto chegamos! Esse tipo de comércio não deve ser novidade, mas só agora entrei em contato e vi como funciona a fraude. Eu enviei um e-mail para testar e fazer uma matéria para a rádio. Recebi resposta imediatas, dizendo que eles garantiam a autenticidade do documento e que eu teria até registro no Ministério da Educação e na Universidade. Obviamente, algum funcionário está praticando o crime. E acredito que essa pessoa precisa ter apoio em todos os níveis, inclusive no Ministério para conseguir o documento com tanta rapidez (uma semana).
O engraçado é que eles enviaram um questionário para eu preencher com os meus dados e uma das questões era para escolher o ano em que eu gostaria de ter concluído o curso! É o cúmulo. Isso gera uma desconfiança geral, pelo menos para mim. Daqui a algum tempo não saberemos mais identificar um diploma falso de um verdadeiro. Os diplomas terão que vir com marca d'água, como notas de dinheiro!
"Um neurologista cristão conversa com um astronauta ateu sobre as coisas divinas e terrenas. O astronauta diz, ironicamente: 'Eu já estive no espaço três vezes e nunca vi Deus e nenhum anjo. Como você pode acreditar nisso?' O médico, calmamente, responde: 'Eu já operei mentes brilhantes, de pessoas geniais, e nunca vi uma idéia ou pensamento'"
(Jostein Garden, O Mundo de Sofia)

18 abril 2006

Amenidades políticas...

O PPS (Partido Popular Socialista) divulgou uma nota hoje pedindo o Impeachment do presidente Lula. A seis meses das eleições eles querem que o povo se mobilize e deponha o presidente. Faça-me o favor! Passou a hora de entrar com esse tipo de ação e basta acompanhar as pesquisas de intenção de voto para saber que isso não vai acontecer. O Impeachment tem que ser pedido pelo povo, e não por um partido político. Apesar dos poderosos do governo estarem afundando em denúncias de corrupção, há de se admitir que nada foi provado contra Lula. E os governistas abafaram direitinho todas as denúncias que envolviam seu filho, seu compadre, seu amigo... e que poderiam chegar claramente ao nome dele.
Concordo com a atitude do PPS sim, mas acho que é tardia e Lula não tem perfil de presidente que vá ser cassado...
**
Essa é ainda pior...
O Corregedor da Câmara, Ciro Nogueira, do PP, recomendou uma censura verbal à deputada Angela Guadanin, do PT. Foi ela quem dançou no Plenário para comemorar a absolvição do colega petista João Magno. Foi assim que Angela ficou famosa, pela performance da "dança da pizza". Já imagino a deputada ajoelhada, de cabeça baixa, e o presidente da Casa apontando o dedo para ela!
Foi essa mesma deputada que atrasou o processo de cassação de José Dirceu, pedindo vistas do documento umas trocentas vezes. Ela dançou naquele dia e eu dançaria também no lugar dela. Afinal de contas, é um amigo seu, da sua laia, que escapa de uma pena por corrupção!
Ela dançou apenas literalmente, porque, na prática, além da bronca que pode levar ela foi afastada do Conselho de Ética. Acho que disso ela não deve sentir a menor falta já que não tem o perfil exigido.
Ah, mas eu me enganei quando disse que Angela Guadanin ficou conhecida pela dancinha infame. Ela é bem (ou mal) conhecida pelos moradores de São José dos Campos, de onde foi prefeita e fazia "caixinha" parao PT.

17 abril 2006

Quebrando as regras...

Quando criei o blog disse que não iria usá-lo para escrever coisas pessoais. Bom, eu posso quebrar essa regra!
**
Estou em uma caverna, masmorra ou montanha. Vivendo como um ermitão, não importa o lugar. Todos à minha volta falam, sozinhos ou entre si, riem e eu não ouço do quê. Citam meu nome, não entendo. Tudo parece efêmero e sem vida. "Isso vai passar, isso vai passar". Meus olhos parecem encobertos por um fino papel de seda; quando olho minhas mãos, é como se visse algo além.
Queria estar em casa. Para quê? Para comer os chocolates que ganhei na Páscoa. Mentira! Para fugir disso, dessa sensação de impotência que me persegue e desse sentimento de "ter que fazer algo" que nunca se concretiza... Incapacidade é o que me ronda hoje...
À tarde tenho aula de direção. Fico dando voltas no mesmo lugar, tentando aprender algo que pareço ser incapaz. "Acho que não nasci pra isso", digo a mim mesma. A verdade é que não queria estar lá, não queria estar aqui. Queria estar em casa, deitada no sofá, assistindo televisão e comendo chocolate. Sem precisar lutar por nada, sem sentir esse temor de que nada dê certo, sem sentir raiva de ninguém.
Quero pular o período de conquistas, hibernar por alguns anos e chegar logo ao futuro! Para saber o que ele me reserva...

16 abril 2006

Calejados...

Lu, minha comparsa querida! Que bom que você não me deixa desistir, rsrs! Beijão!!!
**
Eu tenho recebido um e-mail, acredito que todos vocês devem receber, dizendo que o fim do 13º salário foi aprovado na Câmara dos Deputados. Foram tantas as mensagens que, mesmo considerando absurda a possibilidade, liguei para dois deputados federais do Paraná para confirmar: Alex Canziani e Gustavo Fruet.
Segundo eles, a informação é mentirosa e não existe nenhuma matéria dessa natureza sendo votada no Congresso. Mesmo assim, é bom ficar com o pé atrás já que o e-mail traz também uma lista com os nomes dos deputados que teriam votado a favor.
Bom, citei o nome dos dois que negaram a informação pra mim para que, no caso de isso aparecer como verdade depois das eleições, nós saibamos de quem cobrar.
Precaução de brasileiro calejado...

13 abril 2006

Quem viveu lá sabe...

Me corrijam se eu for injusta. Mas a secretária de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, nossa conhecidíssima Lygia Pupatto, anunciou investimentos de 1 milhão e 200 mil reais em atividades de Pesquisa e Extensão na UEL.
Tudo bem que agora, com uma posição mais próxima do governo e com mais influência fica mais fácil conseguir recursos. Mesmo assim, eu não me lembro dela ter feito nada nesse sentido pelos universitários, enquanto foi reitora. Projeto de Extensão no CECA, por exemplo, é lenda.
Até entendo que ela tenha mais facilidades agora, mas se está nesse cargo é porque já gozava de uma posição privilegiada junto ao governo. Poderia ter feito mais pela UEL, não é mesmo?
Será que a ex-reitora-secretária quer seguir a carreira política? Será que ela leva jeito?

12 abril 2006

Se não tem ética, tenha, pelo menos, vergonha na cara!

Hoje presenciei mais uma atitude patética de pessoas que não têm ética suficiente para exercer o jornalismo. Um "jornalista" de rádio forjou uma entrevista ao vivo. Isso mesmo, gravou uma entrevista, editou e depois fez um texto para que ela parecesse estar sendo feita durante o jornal.
Fiquei pensando que desejo trabalhar com pessoas profissionais e éticas, que reconheçam a verdadeira importância do trabalho que exercem. Lembrei da minha querida comparsa (hoje é níver dela)! Conversei com a Lu por telefone e pensei que pessoas como ela não deveriam estar como estão. Ou melhor, é o contrário: pessoas como essa não poderiam roubar uma vaga no mercado de profissionais capazes e com bom censo, como a Lu!

Demitam o Ombudsman!

Ombudsman é o jornalista responsável por avaliar o desempenho da empresa em que trabalha. É uma atividade importante e um tanto contraditória. Mas não estou pedindo a demissão de todos os jornalistas que ocupam essa posição, apenas do ombudsman da TV Cultura. Recebi um texto publicado no site Comunique-se (não me lembro do autor) em que essa pessoa diz que o Jornal da Cultura é o pior do telejornalismo brasileiro.
Bom, quem assistiu deve concordar comigo que a avaliação é injusta. O JC é o único que traz analistas políticos e ecônomicos para explicar as notícias aos telespectadores e mostrar o impacto delas na vida de cada um. Só por esse motivo já o considero melhor que a maioria dos outros. As limitações financeiras e tecnológicas não vêm ao caso.
Esse ombudsman deveria ser demitido, pois com certeza é defensor do jornalismo espetáculo feito pela Rede Globo. Eu não quero nunca ter um Ombudsman!

Que nome é esse?

Bom, pensei em um nome que não fosse pessoal. Criei o blog com a intenção de discutir temas diários, sempre ligados a jornalismo. Isso quer dizer, ligados à vida da gente. Portanto, me dei o direito de criar um neologismo.
Vou explicar melhor: jornal, segundo Houaiss- substantivo do latim diurnális, e 'relativo ao dia, diário'; logia: estudo, análise. Juntei as duas e assim formou-se Jornalogia: análise da vida cotidiana. Entenderam?

Como tudo começou...

Acabo de voltar do Congreso Paranaense de Jornalistas e crio este blog em um momento de profunda empolgação profissional. Espero que eu não esmoreça no caminho...